DICA DO DIA – Moeda e seus aspectos

Olá, nesse post revemos algumas explicações e fontes sobre moedas e como ela se deu a fim de descobrir como nomeá-las.

Texto tirado de https://politicamonetaria.webnode.com.br/moeda/

“Em  termos econômicos, moeda é tudo aquilo que é geralmente aceito para liquidar as transações, isto é, para pagar pelos bens e serviços e para quitar obrigações, ou seja, de acordo com esta definição, qualquer coisa  pode ser moeda, desde que aceita como forma de pagamento. Ela é considerada o instrumento básico para que se possa operar no mercado. Pois a moeda atua como meio de troca. Quando um indivíduo vende seu produto, ele receberá moeda pelo produto vendido e, por conseguinte,  terá moeda para comprar aquilo que desejar.

Além disso, a moeda desempenha a função como unidade de conta (também chamado de denominador comum de valor), isto é, fornece um padrão para que as demais mercadorias expressemseus  valores, e forneçam um referencial para que os  valores dos demais produtos sejam cotados no mercado.

E a terceira função da moeda é a chamada reserva de valor, função que decorre do meio de troca, onde o poder de comprar adquirido ao vender sua mercadoria mantiver-se ao longo do tempo. Em outras palavras, a moeda deve preservar o poder de compra (assim como acontece com os títulos, pois eles tem valor de compra e rentabilidade ao longo do
tempo).

Resumindo as três funções, temos:

  • Moeda como meio de troca: intermediário entre as mercadorias;
  • Moeda com unidade de conta: ser o referencial das trocas, o instrumento pelo qual as mercadorias são cotadas;
  • Moeda como reserva de valor: poder de compra que se mantém no tempo, ou seja, forma de se medir a riqueza.

Ao longo do tempo, a moeda evoluiu, primeiramente tínhamos a moeda-mercadoria (sal, animais, etc), passando pela moeda metálica (ouro, prata, metais preciosos) até chegarmos ao que temos hoje, o papel-moeda ou moeda fiduciária, para o qual não existe qualquer tipo de lastro. Isto é, não existe a garantia física sustentando o valor da moeda, e sua aceitação se deve à imposição legal do Governo.”

Aqui tem uma pagina muito interessante contando a história e nomes de varias moedas. Vale a pena dar uma olhada

https://fantasia.fandom.com/pt/wiki/Moedas_medievais

Encontrei no reddit uma thread bem interessante e ele explica melhor do que eu poderia(x):

O significado por trás do nome de cada moeda geralmente é um peso (libras) ou representa uma numeração (centavos, denários, vinténs) mas pode ser cunhada com algum símbolo relevante  da região (forjas, espadas, sóis, cruzeiros, etc.).

Numa monarquia pode ser “coroas” ou o brasão do rei (“leões”, “dragões”, “flores de lis”, etc.).

Também pode representar um valor em bois ou sal (pecúnia, salário, etc.).

Dólar vem de taler, que aparentemente vem do nome do sujeito que criou uma moeda antiga… então poderia ser algo assim tb.

EDIT:  agora, na real, ficar convertendo de uma moeda pra outra não seria algo  que meus jogadores apreciariam. Mais fácil equalizar tudo em peso e  mencionar só por curiosidade mesmo (“vocês acham 100 p.o. triangulares,  provavelmente da nação de Pasarg” …)

Outros comentários na mesma thread falavam para se inspirar nos nomes de
nações ou em línguas aleatórias ou até mortas pode ser a solução.

Conclusão

Dar nome a uma moeda vai depender do sistema político, social e econômico. Temos que pensar em como essa sociedade se dá e a partir daí, decidir. Se você prestar atenção a maioria das moedas eram inspiradas em quem tinha domínio sobre o Brasil e apenas quando colocaram um ideologia que ela começou a se chamar real, que é o valor real monetário, entende? Está tudo na ideologia e como essas pessoas se relacionam, lembrando que línguas e moedas sempre estarão entrelaçadas. Enfim, criar um nome para moeda não é fácil, sugiro dar uma olhada nas fontes abaixo e entender um pouco mais sobre o assunto; não é algo que tenha um solução única e padronizada. Se fôssemos ter um entendimento profundo do assunto teríamos que estudar a história do mundo e como ele se desenvolveu.

Para terminar, gostaria de indicar um site que conta a história de como algumas moedas foram nomeadas (x):

A ORIGEM DAS PALAVRAS QUE DEFINEM OS NOMES DAS MOEDAS

O dinheiro é uma forma desde cedo usada pela humanidade para simbolizar valores e facilitar compra e venda sem recorrer às trocas. Estas podem ser complicadas, como no caso de se trocar um bando de patos por meio carneiro vivo.

Roma –  quando o Império Romano se estava esfacelando, um grupo de bárbaros tentou escalar a parte da muralha de Roma junto à qual, pelo lado de dentro, se situava um templo dedicado a Juno, a deusa que era esposa de Júpiter. Os gansos consagrados à deusa, que estavam no terraço do templo, deram o alarme e os soldados romanos acorreram e afugentaram o inimigo. Gansos são ótimos vigias, pois dão logo o alarme na presença de estranhos.  Agradecidos, os romanos declararam que aquele templo era dedicado a Juno Moneta, “a Juno que avisa”.  Esta palavra vem do Latim monere, “advertir, admoestar, avisar”.  Em época mais tardia, nesse templo, se estabeleceu um local onde se cunhavam discos metálicos, com valor definido, próprios para fazer negócios de compra e venda. Estes receberam um nome derivado da deusa do templo – ou seja, moneta, que virou nossa moeda.

LIBRA  – esta palavra vem do Latim libra, “peso”, literalmente “par de pratos de balança”. Inicialmente as moedas eram avaliadas conforme o seu peso. Daí que diversos meios de pagamento nacionais foram nomeados conforme a tradução da palavra peso, como o peso, a peseta, a lira, a libra.

Esta última é a que se usa em Português para a moeda britânica; os habitantes do Reino Unido a chamam de pound, que veio do Latim pondus, “peso”, de ponderare, “pesar”. Por extensão, usamos ponderar como “avaliar, pensar com profundidade sobre algo”.  Para sermos mais exatos, o nome da moeda é pound sterling, “libra esterlina”. A origem desta é discutida; aceita-se prevalentemente que derive do Inglês arcaico steorra, “estrela”, com o sufixo diminutivo –ling, dado que havia uma pequena estrela impressa nas moedas normandas cunhadas depois do século X.

PESO – foi uma moeda originada na Espanha e que teve muita importância no comércio da era das descobertas. Seu nome é o Espanhol peso, “peso”, e deriva do Latim Latim pensum, “certa quantidade de lã dada a um escravo para processar, tarefa”, de pendere,
“pender, estar pendurado”, já que as balanças antigas funcionavam com pratos pendurados em braços.  Atualmente esse nome se usa em vários países de colonização espanhola, como Uruguai, Argentina, Filipinas, Cuba, Chile, Colômbia, Venezuela.

FRANCO  – não é mais a moeda francesa, pois foi substituído pelo Euro em 2002. Mas continua sendo usado em Lichstenstein, Suíça, Togo, Benin, Ruanda, Congo, Guiné, Senegal, Camarões e outros paíse africanos. Seu nome deriva da inscrição das primeiras moedas, em 1360 onde aparecia o rei João II, o Bom, com o dístico  Rex Francorum, “rei dos Francos”. E o nome desse povo vem do antigo Francês franc, “livre, não-servo, sincero, genuíno”. Viria do nome do povo germânico chamado Frank, que conquistou a Gália em torno do ano 500 e deu origem ao nome França para o país.

RÚPIA –  usa-se na Índia, Nepal, Indonésia, Paquistão, Sri Lanka e ilhas Maurício e Seychelles. Vem do Sânscrito rupya, “prata trabalhada, moeda de prata”, de rupa, “semelhança, imagem”.

YUAN –  é a moeda chinesa. Seu nome significa “objeto redondo”. Até a chegada de ocidentais em suas terras, os chineses usavam a prata como meio de pagamento através de pesagem. Com a introdução das moedas de origem espanhola, o nome foi aplicado aos meios de pagamento chineses.

EURO  –  é a moeda corrente em numerosos países europeus. Foi oficialmente adotada em 1995 e entrou em circulação fisicamente em 2002.  Seu nome vem, evidentemente, de Europa. E o nome do continente, de onde vem? Como tantos nomes geográficos antigos, não se sabe direito. Ele vem do Grego Europa, de origem incerta. Há quem diga que este vem do Acadiano erebu, “descer, pôr-se (em referência ao sol)”.

DÓLAR – do Baixo Alemão daler, de thaler, uma abreviação de Joachimsthaler, “do vale de Joachim (thal sendo ‘vale’)”, localizado no que era então o noroeste da Boêmia, hoje parte de República Tcheca. Nessa região havia minas de prata, a qual passou a ser cunhada em moedas a partir de 1520. Devido à origem do metal, as moedas começaram a ser conhecidas como joachimsthaler. Daí se originaram vários nomes de moedas, como o tallér húngaro, o tólar tcheco, o norueguês rigsdaler e, através do Holandês, o dollar do Inglês. Há uma palavra que todos conhecemos que é uma parente inesperada dessa moeda. Trata-se do nome dado ao hominídeo conhecido como Homem de Neanderthal, e a história é meio complicada e cheia de coincidências. No século XVII havia na Alemanha um ministro protestante e compositor de hinos religiosos chamado Joachim Neumann, que fazia muitos passeios inspiradores por determinado vale próximo à cidade de Düsseldorf. Seu sobrenome quer dizer “novo homem”, em Alemão. Ele gostava de ser chamado de Neander, que quer dizer precisamente isso em Grego (de neo, “novo”, mais anér, “homem”). O bom povo da região passou a chamar a região de Neanderthal, “o vale de Neander”, em homenagem ao religioso, ao redor de 1850. Foi ali que se descobriram os restos da espécie agora extinta e muito próxima ao Homo sapiens atual, com uma diferença genômica de apenas 0,12%. E aqui estão as coincidências: o fato de, num lugar chamado de “novo homem”, ter sido descoberto o que, na época, era mesmo um homem novo dentro da classificação geral. E o fato de haver um nome Joachim e um vale envolvidos no nome tanto do hominídeo como da moeda que ora estudamos.

TOSTÃO  – vem do Francês teston, do Italiano testone, “cabeça grande”, aumentativo de testa, “cabeça”. Isso porque essa moeda do século XIII apresentava inicialmente uma cabeça do governante do momento bem visível. Ela chegou a ser de ouro ou de prata, mas com o tempo acabou perdendo significado e sendo sinônimo de “dinheiro de pouco valor”.   VINTÉM  –  era antes uma moeda equivalente a vinte réis, daí o seu nome.

CRUZEIRO –  essa passou a ser a moeda corrente no Brasil por vários anos a partir de 1942. Seu nome foi escolhido a partir da constelação do Cruzeiro do Sul, um símbolo característico de alguns países de nosso hemisfério e que não pode ser avistado no hemisfério Norte. Não precisamos dizer que cruzeiro vem de cruz, do Latim crux.

CRUZADO –  foi usado no Brasil entre 1986 e 1989 e sua origem é a mesma que a do cruzeiro.
FLORIM – foi moeda na Inglaterra, Itália, Áustria e ainda é usada em Aruba. Seu nome vem da moeda cunhada em Florença, que era muito bem reputada. O símbolo desta cidade era estampado num dos lados; era uma flor-de-lis, de onde a denominação.

Agora, vão lá no site que tem muito mais informações interessantes. O importante é que vocês mesmos leiam e cheguem a uma conclusão. Ter um texto mastigado nem sempre é bom, e como escritores que somos, é imprescindível que leiamos bastante.

Espero que essa pequena pesquisa tenha sido útil e não se esqueçam de compartilhar com os amigos. E quem puder, nos apoie!

FONTE

https://politicamonetaria.webnode.com.br/moeda/

http://www.moedasdobrasil.com.br/moedas/catalogo.asp

https://web.archive.org/web/20151222101504/http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/reis-ao-real-moedas-brasil-436234.shtml

https://fantasia.fandom.com/pt/wiki/Moedas_medievais

https://www.reddit.com/r/rpg_brasil/comments/lpwkmp/nomes_para_moedas/

http://numismaticafernandopinto.weebly.com/nomes-das-moedas.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.