DIA 7 – Abuso emocional #desafio30psicologia

Olá, como vão todos? Hoje eu queria manter o post breve. Achei alguns exemplos sobre abuso emocional e gostaria de compartilhar com vocês.

Bem, entretanto, o que se caracteriza por abuso emocional? São vários os aspectos. Temos o abuso tanto quanto social quanto parental. Se você nasceu nos anos noventa como eu, punições físicas eram muito comuns, elas sempre vinham junto com as psicológicas. Tem as que acontecem em relacionamentos, tanto amoroso quanto com amigos e claro, o que sofremos no trabalho também.

Aqui segue alguns exemplos de como isso pode acontecer:

Esse é exemplo do que acontece com crianças ou pessoas mais novas.  Ou pessoas que são manipuladas a fazer o que outros desejam. Aparentemente nossa opinião é sempre invalidada. Nossa dor não é nada, nossas opiniões menos ainda. Então, porque não colocar isso na nossa história? Mostre as dificuldades de uma pessoa que não é vista como devia, um individuo que tem direito a expressão não importando seu status e idade e que muitas vezes é negado esse direito. A história de muitas pessoas poderia ter sido diferente se houvesse um pouco mais de compreensão.

Ah, o tom condescendente que algumas pessoas usam, especialmente com mulheres. É inacreditável. Entretanto, não estou aqui para criticar, certo? Essa seria outra característica interessante para colocar em nossa história, principalmente se nosso personagem tem um papel social a desempenhar nesse mundo. Seria interessante pensar qual o papel exigido de nossos personagens, em um mundo alternativo ou não, e o que as pessoas dessa realidade pensam que ser o correto ou aceitável, e principalmente, como isso afeta o personagem psicologicamente.

Esse é um dos meus favoritos. Funciona bem especialmente para relacionamentos amoroso e expectativas familiares. Você já teve aquele parente decepcionado com suas escolhas? Como namorados ou faculdade? Essa situação descreve isso, mas também descreve momentos realisticamente abusivos em namoros. Sabe quando a pessoa diz que isso é usa culpa? Antes ou depois do termino? Ou quando ele está prestes a bater na parceira mais uma vez, dizendo que ela/ele não lhe deu escolha? A vítima nunca é a culpada, e se for o tema que você, escritor, estiver desenvolvendo, é assim que você deveria escrever. Sem amenizar e sem romantizar as coisas.

Esse é um clássico, pode acontecer em qualquer ambiente social. Amigos. Família. Relacionamentos amorosos. Conheço mães que fazem de tudo para os filhos não saírem de casa, amigos que pensam que os amigos são propriedade e namorados que, bem… devem ter a escritura assinada, não? Esse é outra forma de demonstrar abuso psicológico. O interessante seria mostrar o lado do abusado e como ele age, aceita ser abusado ou tenta achar uma forma de se libertar.

Tudo bem, às vezes as pessoas não fazem por mal. Elas querem evitar conflito e futuros problemas, não vendo que os problemas virão de qualquer forma. Porque é assim que somos, todos temos nossas inseguranças e medos, e ao invés de apoiarmos e escutarmos o que as pessoas têm a dizer, novamente, apenas descartamos as opinião e dores de outras pessoas. É por isso que homens pensam que não devem chorar ou que garotas devem ser femininas. Então, porque não escrever sobre um personagem que apenas… apoia o outro? Que oferece um ombro amigo e que tenta manipular outras pessoas para ganho próprio? Ou talvez você pode escrever o completo oposto, porque, afinal, na escrita tudo vale.

E enfim chegamos em como pessoas julgam outras pessoas, pensando saber o melhor para elas. Tenho que dizer, é um exercício que tento praticar todo dia. Entretanto, daria boas situações. Uma mãe falando que o filho não tem jeito, um namorado falando que a namorada é muito sensível. Um amigo falando para outro amigo que ele tem problemas. Pode não parecer nada, mas magoa. O Julgamento está em todo o lugar, pois são baseados em comportamento e o que é esperado de nós, uma convenção social, e que pode ou não mudar no futuro. Você consegue pensar em algo que se aplicaria a sua história, algo que é comum e padronizado? Como o fato de mulheres poderem votar sendo que a cem anos elas não podiam? Ou o fato dos homens terem que ser o provedor da casa no passado? Somos todos feitos de costumes e convenções, qual deles você consideraria um abuso psicologo e qual deles, não?

OBS: Eu queria colocar mais um exemplo aqui que eu acabei de achar, talvez fique mais claro.

“Meus pais costumavam me bater quando eu era mais jovem. Não me lembro muito da minha infância, mas minha mãe me disse que costumava me bater e sei que meu pai me batia às vezes depois que eu e meu irmão brigávamos. Ele também me arrastou pelo pulso e uma vez minha mãe ficou muito brava e me prendeu no chão e gritou na minha cara. Eles não fazem mais essas coisas e ambos tiveram vidas difíceis e minha mãe é tão compreensiva comigo agora que me sinto egoísta/ingrata” x

Eu fico por aqui. Obrigada a todos que continuam acompanhando o blog e obrigada por todo apoio.

Até mais,

Ana.

Um comentário em “DIA 7 – Abuso emocional #desafio30psicologia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.