DIA 3 – Psicodrama, construindo personagens através da psicologia #desafio30psicologia

Olá, como vão todos? Hoje iremos falar sobre o Psicodrama, uma teoria poderosa da psicologia. Ela nos ajudará construir personagens de formas mais intuitivas

O que é?

Bem, hoje navegando pela internet em minhas pesquisas por um tema interessante encontrei o Psicodrama, que por definição etimológica significa  “investigar a alma por meio da ação”. A proposta dessa técnica é identificar os conflitos e falhas do individuo para então ir em busca de soluções para alguma situação ou problema.

Origem

O Psicodrama nasceu do teatro dramático, encenado pela primeira vez, onde Jacob Levy Moreno, médico, psicólogo, filósofo e dramaturgo, fez uma apresentação sozinho, sem roteiro e nem preparação. Com apenas uma poltrona digno de um trono em que uma coroa repousava no assento, um desafio foi proposto. Se tratava da participação do próprio público, onde cada pessoa representaria o papel de rei, sendo julgado digno ou não do trono pelos demais espectadores.

Assim, a encenação serviu para confirmar que a atuação dramática de conflitos – a teoria dos papéis –  nos dá uma melhor visualização de problemas e de como lidar com eles, onde o exercício espontâneo, o compartilhamento de angústias,  e o processo criativo grupal, são ações terapêuticas que possibilitam o resgate de conceitos antes considerados clichês e da representação de papéis desgastados, buscando novas maneiras de atuar no meio social.

Alicerces teóricos do Psicodrama

Além da espontaneidade e da criatividade, o Psicodrama tem, como alicerces teóricos: a teoria dos papéis,  a tele, a empatia, o co-inconsciente, e a matriz de identidade. Vejamos cada um deles.

Espontaneidade e criatividade

Espontaneidade e criatividade são conceitos que variam entre os indivíduos e as situações enfrentadas por cada um. Cada pessoa tem seu conjunto de crenças, costumes e moral, trazendo com ela a criatividade para criarmos novo personagens.

Por exemplo, eu sempre tive dificuldade de entender o que é o amor e como um relação romântica funcional. É sobre isso que eu escrevo, eu investigo e leio sobre até recolher informação suficiente, criando minhas próprias relaçoes fictícias. Agora, imaginem juntar um grupo de pessoas e misturar esses elementos, cada um trazendo um aspecto para a crianção do personagem. É sobre isso que se trata o Psicodrama.

Tele

É a capacidade de se perceber os acontecimentos e as inter-relações entre os seres de forma objetiva, mesmo que tais fatos não ocorram de forma verbalmente expressa ou fisicamente perceptível. Um bom exemplo é de como em Harry Potter a cada livro tem que derrotar algum inimigo ou como ele estava sendo treinado para se sacrificar no final. É aquele detalhe escondido, mas que se prestarmos atenção ele esteve ali o tempo todo.

Empatia

A empatia é sobre se colocar na pele de outra pessoa, é ter a noção do que o outro sente e o que você sentiria caso estivesse naquela situação.

Co-inconsciente

O conceito de co-inconsciente se refere às vivências e sentimentos (conscientes e inconscientes) que são comuns entre as pessoas, que seria a parte que forma o senso de moral e crenças. São os pensamentos que os personagens tem e que geralmente se dão de forma inconsciente. Um bom exemplo é Katniss Everdeen, ela poderia ter deixado que a irmã fosse aos jogos e ter garantido que não iria morrer, entretanto, por causa da índole dela e do que a família representava para a personagem, Katniss tomou a ação mais corajosa de todas, se lançando a morte certa.

A teoria dos papéis

Se baseia no princípio de que ao longo de nosso desenvolvimento, vamos aprendendo diversas formas de agir no mundo, isto é, tendo mascaras e papeis dependendo da situação, bem como representações mentais, criando um conjunto de atitudes ou formas de agir em cada uma delas, o que se dá o nome de ‘papel’ social.

Alguns desses ‘papéis’ ficam inibidos ou escondidos pelas expectativas que mundo e as circunstâncias da vida nos pedem, necessitando que essa frustração saia de alguma forma. As distopias são resultado disso, pode ser uma explosão nuclear, zumbis e até o Big Brother que tem sua origem em um livro famoso, todas as nossas frustrações, desejos e pensamentos que só as paredes conhecem podem ser fonte para inspiração.

Matriz de identidade

É o ato de se autocriar, se trata do nascimento humano e se desenvolve ao longo da vida, completando-se com a maturidade. Este caminho existencial começa na fase em que somos bebês e vai até a maturidade, marcado pela habilidade de aprendermos, através de condutas estereotipadas, ritualistas, sociais, politicas e etc, chamadas de cultura ou identidade cultural.

Conclusão

Eu gostaria de encerrar esse post por aqui, a teoria é bem mais extensa, porém decidi focar no que é interessante para nós como escritores. Entretanto, eu gostaria de propor um desafio. Se você estiver sozinho faça três coluna e nelas coloque um conflito/desafio, na outra uma situação e na outra características psicológicas. Escolha aleatoriamente duas opções de cada coluna e tente fazer um texto curto. Se você estiver em grupo peça para cada pessoa ir escolhendo uma dessas colunas e ir as preenchendo. Tente escrever e veja no que dá, tendo em mente os conceitos que aprendemos nesse post.

Até a próxima e não se esqueça de compartilhar e deixar um like!

FONTE

https://blog.psicologiaviva.com.br/psicodrama/

Um comentário em “DIA 3 – Psicodrama, construindo personagens através da psicologia #desafio30psicologia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.