DICA DO DIA – Mostrar e Contar (Show, Don’t Tell) simplificado

dica-do-dia-10Como vão todos? Hoje falaremos sobre um assunto bem difundido entre os escritores. O tal Mostrar e Contar, ou como é mais conhecido, “Show, not Tell.

A seguir veremos um exemplo do que é considerado Contar:

Arthur estava furioso. Ele deveria estar indo para casa e em vez disso, ele estava no escritório, às seis da tarde em uma sexta-feira a noite, fazendo o trabalho de outra pessoa. Ele havia pedido tantas vezes, ele havia implorado, mas eles não fazem, deixaram suas latas de lixo cheias. Será que eles não percebem o risco? Ele estava usando suas luvas de plástico e uma máscara, mas ainda estremecia enquanto esvaziava mais uma cesta de lixo. Será que eles não sabiam quantos germes tinhas nos sacos de lixo? A verdade é que eles pensavam que o serviço de limpeza cuidaria disso, entretanto os sacos só seriam esvaziados na segunda-feira pela manhã.

Como vocês puderam ver, o personagem exerce certa ação e algo está acontecendo. Entretanto, não é muito dinâmico, é? Não tem muita emoção ou parece um texto interessante.

Adendo: o texto contado geralmente é usado para dar uma introdução de um texto ou quando você não quer escrever sobre algo, os chamados resumos narrativos; isto é, breves passagens, que podem ter um salto de tempo ou não, mas que servem para alavancar o texto adiante. Eu gosto de usá-lo ocasionalmente em início de um capítulo, a partir do terceiro ou quarto, quando já temos algum fato acontecendo e queremos recapitular o que aconteceu no último, assim, ligando o texto como um todo, de forma organizada e fluida.

Agora, se nós usarmos o Mostrar, ficaria assim:

Arthur olhou para o relógio, observando os minutos que voavam em direção às seis horas, mal podendo esperar pelo fim de semana que se aproximava. Seus passos ecoaram pelo escritório deserto enquanto ele ia até a parede mais próxima e lia novamente a placa:

“Esvazie seu lixo
Germes são um pecado
A doença se espalhará
E todos estaremos mortos”

Será que isso estava claro o suficiente? Certamente, ninguém poderia subestimar a importância da higiene no escritório. Ele até fez uma rima para ajudar seus colegas a se lembrar.

Ele foi até a mesa mais próxima, colocou as luvas e botou a máscara sobre a boca antes de abrir a grande sacola preta com um floreio. Cuidadosamente, ele pegou a lata contaminada e esvaziou o lixo no saco preto. Todo mundo sabia que a limpeza só funcionava às segundas-feiras. Ele quase podia ouvir as bactérias se multiplicando enquanto amarrava a sacola e tirava as luvas. A máscara ele continuaria usando, apenas no caso de uma emergência.

Novamente, como podemos ver, a diferença entre mostrar e contar é clara. Há mais detalhes, os verbos fortes e os verbos de ação são usados com mais frequência e também vemos o personagem agindo durante todo o texto, dando a impressão de que mais coisas estão acontecendo do que no primeiro texto.

Se compararmos as primeiras linhas dos dois textos, isso ficará bem claro:

Texto 1: Arthur estava furioso. Ele deveria estar indo para casa e em vez disso, ele estava no escritório, às seis da tarde em uma sexta-feira a noite, fazendo o trabalho de outra pessoa.

Texto 2: Arthur olhou para o relógio, observando os minutos que voavam em direção às seis horas, mal podendo esperar pelo fim de semana que se aproximava. Seus passos ecoaram pelo escritório deserto enquanto ele ia até a parede mais próxima e lia novamente a placa.

Nesse caso, qual seria o texto mais interessante? Aquele que conta o que está acontecendo ou aquele que mostra, trazendo o leitor para mais perto da história?

Verbos que te fazem contar:

  • São aqueles que ditam uma opinião pessoal, ou seja, são verbos de pensamentos. Os veja a seguir
    • pensar, saber, entender, perceber, acreditar, querer, lembrar, imaginar, desejar e centenas de outros que você ama.
    • Essa lista também deve incluir: amar e odiar.

Precisamos utilizar verbos expressivos:

  • Para termos um texto mais interessante precisamos usar as palavras certas nas horas certas. Isso requer:
    • Evitar verbos genéricos. Quando mais a palavra for especifica, menos ambiguidade teremos. Assim, devemos usar verbos que transmitem o melhor possível os sentimentos ou ações, reforçando a intensidade e relevância da nossa frase.

Exemplo:

  • João acordou tarde.

Essa parece um frase correta, certo? Mas o que ela nos diz, ou melhor, o que ela nos mostra?

Assim seria melhor:

  • João pulou da cama.

Agora, sim! Pular, nesse contexto, é bem mais específico e nos diz muito mais do que acordar tarde, pois pular da cama nos dá um senso de imediatismo muito mais forte do que acordar tarde.

Concluindo, podemos evitar o “Contar” da seguinte forma:

  • Mostre como o personagem se sente através de suas ações.
  • Use verbos fortes e expressivos.
  • Evite verbos genéricos.
  • Faça escolha de palavras específicas.
  • Use verbos ao invés de descrever emoções com adjetivos, como: brava, feliz ou triste.

Contar: Kevin parecia irritado enquanto ele colocava seus livros na mesa.
Mostrar: Kevin jogou os livros em cima da mesa.

Contar: Beatriz estava distraída enquanto andava pela rua.
Mostrar: Beatriz parou no meio da rua e o carro que passava por perto, buzinou. “Ei, toma cuidado!” Ela pulou com o som da buzina, seu celular indo ao chão. “Vê se olha por onde anda.”

Agora, antes de terminar, eu queria propor um desafio. Localize uma parte do seu texto e tente modificar a parte contada, a transformando em mostrar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.