MÉTODOS DE PLANEJAMENTO

Olá, como vão todos? Decidi encaixar aqui algumas formas de como os escritores costumam escrever só para mostrar que mesmo que eu goste da minha escrita bem estruturada e organizada, existem pessoas que conseguem escrever de outras formas mais instintivas e espontâneas. Eu não posso negar que já passei por cada uma dessas fases até se podendo usar algumas delas em conjunto, porém agora que eu planejo com mais cuidado o meu enredo costumo sofrer muito menos com bloqueios criativos.

Os 4 Tipos de Escritor

Os 4 tipos de escritor é visto como uma ferramenta essencial pela maioria dos escritores, e dependendo de como você escolhe usá-la, esses métodos podem definir o rumo que sua história vai seguir. Basicamente, eles se dividem em escrita bem planejada, escrita sem planejamento e escrita que usa o meio termo entre escrita livre e escrita controlada.

O Criador e o Editor

Esse é um conceito que devemos conhecer antes que possamos prosseguir com os tipos de escritores. O criador e o editor são aspectos da escrita que sempre andaram juntos. Há aqueles que que gostam de escrever a história toda e só na segunda versão do manuscrito usar o aspecto editor da escrita, que todo nós conhecemos por revisão, mas é inegável que um não pode existir sem o outro.

  • O Modo Criador: É quando escrevemos sem qualquer planejamento, pois sua proposta é apenas colocar as palavras no papel. É o famoso brainstorm ou tempestade cerebral das ideias. Esse estágio da escrita é bem útil para quando não temos certeza do que escrever e colocamos no papel tudo o que vem a cabeça em relação ao tema que queremos desenvolver. Eu costumo fazer isso para título de histórias;
  • O Modo Editor: Como eu comentei antes, o método editor é a fase onde revisamos o material já escrito com a proposta de transformar o texto em sua forma mais primária em literatura ou em algo que se assemelhe a uma história. É nesse momento que eu gosto de adicionar os detalhes que passaram batidos ou trabalhar nas estruturas dos meus parágrafos os tornando mais rítmicos e agradáveis à leitura.

Escritor Improvisador

O escritor improvisador é aquele que escreve com pouco em mente, inspirado em uma cena ou uma frase. Se ele tem uma ideia, ele escreve sem nada para guiar o caminho até chegar ao fim do enredo ou até ele se cansar. Se o caso for um conto, esse método pode funcionar muito bem, mas se for uma história com vários capítulos pode resultar em desistência no meio do caminho.

Escritor Improvisador Editor

Escritor Improvisador Editor é aquele que escreve e logo em seguida volta para reescrever o que acabou de colocar no papel, deixando tudo bem escrito e já procurando possíveis falhas. Eu admito que quando eu estou escrevendo um capítulo para as minhas historia me enquadro nesse tipo de escritor. E deve ser por isso que eu demoro tanto para chegar no produto final. No geral, é um improvisador organizado, mas que pode ser usado em outros momentos da escrita, como é o meu caso.

Escritor Planificador Improvisador

Escritor Planificador Improvisador é aquele que escreve só uma parte planejada, mas ao invés de parar, ele improvisa mais um pouco, e depois planeja outra parte, esse tipo tem duas subdivisões: o Planificador que Improvisa e o Improvisador que Planeja.

Escritor Planificador

Escritor Planificador é aquele que planeja todos os capítulos meticulosamente e segue a risca o planejamento desde o início, não costuma variar muito sua história e geralmente a muda apenas a parte final para criar, por exemplo, os chamados Plot Twists.

Agora, para que não haja dúvidas, gostaria de falar de uma forma mais simples, dizendo onde cada tipo de escritor se encaixa.

1. A escrita sem planejamento

Como vimos anteriormente, existem várias formas de escrever uma história, todas tendo seu próprio grau de complexidade. E se eu fosse classificá-los aqui diria que o Modo Criador e os modos Improvisador e o Improvisador Editor se enquadram muito bem nessa categoria. Eu começaria pelo Modo Criador, pois é por onde todos nós iniciamos nossa jornada de escritores, o único objeto aqui sendo escrever sem qualquer distinção e colocar as palavras no papel. Já os modos Improvisador e o Improvisador Editor eu vejo como uma evolução do Criador. Nós ainda estamos criando sem muita ordem, porém nesse ponto temos uma ideia ou um tema central para a nossa história, momento que também já começamos a inserir o Modo Editor que mais para frente se tornará a maior parte do trabalho de um escritor.

2. A escrita planejada

Aqui nosso objetivo é fazer no mínimo um resumo da história com enredo primário, personagens, arcos narrativos, lugar, tempo, sinopse da história e definir o começo, o meio e o fim dela. Bastante coisa, não? Certo. É por isso que nesse caso quem se encaixa nessa categoria são os modos Planificador e Planificador Improvisador. O Planificador, como o próprio nome já diz, se concentra em planejar cada pedaço de informação do início ao fim sem nunca se desviar do planejamento inicial. Já o Planificador Improvisador também é bem rígido em seu planejamento, porém se permite improvisar durante o caminho com tanto que o plano geral se mantenha o mesmo. E para tornar tudo isso possível e impedir que nós nos percamos nesse mar de aspectos literários existe a escrita em flocos de neve, ou o método Snowflake, criado por um professor e escritor americano chamado Randy Ingermanson.

A escrita em flocos de neve

Tenho que dizer que esse método é o meu favorito no momento. Eu diria que leva no máximo um mês para planejar toda a história. Isso pode parecer muito tempo, mas se você quiser um história que não tenha furos e seja verossímil esse método é para você. O objetivo desse método é desenvolver nosso enredo a partir de uma única frase que resuma sua história e a partir daí ir expandindo o enredo.

Em resumo, a escrita em flocos de neve propõe:

Passo 1: escreva sua história em uma frase.

Passo 2: escreva sua história em um parágrafo.

Passo 3: escreva uma página sobre cada personagem.

Passo 4: escreva uma sinopse de uma a duas páginas.

Passo 5: escreva uma página com o arco de cada personagem

Passo 6: escreva sua história em cinco a dez páginas.

Passo 7: escreva uma a duas páginas com a biografia de cada personagem.

Passo 8: escreva sua história em uma linha para cada cena.

Passo 9: escreva sua história em um ou mais parágrafos para cada cena.

Passo 10: escreva sua história do início ao fim!

Vocês também podem dar uma olhada nesse texto em português que explica em mais detalhes.

3. A reescrita

Enfim chegamos no assunto que faz a maioria dos escritores fugir de escrever uma história ou arrancar os cabelos. Infelizmente, não existe uma fórmula mágica para editar um texto. Porém, nem tudo está perdido e talvez eu possa te ajudar nesse quesito. Não é uma convenção universal, mas gosto de dividir a reescrita em dois aspectos diferentes. O primeiro é quando estou editando um capítulo à procura de furos, falhas, informações falsas, gramática e ortografia incorretas. Essa parte é bem simples, assim que eu termino de digitar meu texto tendo deixá-lo o mais bem escrito possível de forma que me agrade desde já. O segundo aspecto é depois que a história está completamente escrita; mas só porque ela chegou ao final não quer dizer que ela esteja terminada. Ela nem está perto disso, isso eu te digo com pesar, meu amigo, de verdade.

Tudo bem, você me fala, o que mais poderia faltar?

Esse é o momento que eu costumo respirar aliviada e comemorar por chegar ao fim de mais uma história e apenas deixar de lado a minha história, mas só por um tempo. Sim, é exatamente o que você leu. É necessário que nós nos distanciemos de nossas histórias o suficiente para esquecermos os detalhes mais importantes porque só assim seremos capazes de ver com um olho crítico nossas falhas, nos dando tempo também de nos desapegarmos de certas cenas ou conceitos que no começo pensávamos que era essencial para nossa história. Eu aposto que tem aquela cena ou aquele momento que não seria realmente necessário e não faz nada pela a história. É nessa revisão que iremos adicionar ou excluir cenas e é onde usaremos um manual de estilo.

Agora, você me pergunta: O que é um manual de estilo?

É fácil, eu te digo. Um manual de estilo ou manual de redação são diretrizes para a escrita de um bom texto. Basicamente é um documento que vai te dizer o que é aceitável ou não em um texto. Todos os tipos de escritores e em diversas profissões usam, como jornalistas, revisores, editores e tantos outros.

Desde já, posso citar alguns exemplos:

  • Evite uso de abreviações em palavras.
  • Evite formatação mal feita.
  • Evite linguagem extremamente rebuscada.

Aqui estão alguns links de exemplos de manuais:

Qual é o melhor método de escrita?

Até hoje eu não sei a resposta para essa pergunta. Eu até chutaria dizer que não existe um método melhor. O que existe é o objetivo que você deseja alcançar. Seria um romance? Um conto? Uma shortfic? Microconto? É disso que trata os 4 tipos de escritores, achar o método que te ajude a chegar a seu objetivo.

E vocês, qual o seu método favorito?

2 comentários em “MÉTODOS DE PLANEJAMENTO

Deixe uma resposta para A. C. Cohen Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.